Olá queridos,

Faz um tempinho que não venho publicar nada para vocês… Mas agora, através do Cultura Japão, voltei. Esse post é a review de um anime da temporada de Verão de 2014 e meu queridinho do ano passado Barakamon.Ele já foi recomendado uma vez, mas insisto.

Cultura Japão Barakamon

BARAKAMON

Gênero: Comédia, Slice of Life
Número de Episódios: 12
Estúdio: Kinema Citrus
Baseado em Mangá

Sinopse: Como punição por socar um famoso Caligrafista, o jovem e belo Calígrafo Handa Seishu é exilado em uma pequena ilha. Como alguém que jamais viveu fora de uma cidade, Handa tem que se adaptar à seus novos vizinhos excêntricos, como pessoas que viajam a trator, visitantes indesejados que nunca usam a porta da frente, crianças irritantes que usam sua casa como parque de diversões, etc. Esse cara poderá lidar com todas essas maluquices?

O anime de Barakamon com certeza não era algo que a primeira vista poderíamos ver como “promissor”, a sinopse passa a impressão de uma comédia parada e que será forçada, mas esperem…. Sim, se apensarmos assim seremos enganados.

Handa é um jovem e belo calígrafo que possui extrema perícia na arte do Shodo (書道) — Que significa o “caminho da escrita”, arte muito apreciada pelos japoneses — porém quando, ao participar de uma competição, uma importante figura da sociedade dos calígrafos diz que seu estilo é medíocre e conformista, possui técnica exímia, mas nenhum sentimento, Handa se vê incomodado e agride o juiz. Após isso ele é obrigado a se isolar em uma ilha japonesa, que possui um pequeno vilarejo com poucos moradores, para achar sabedoria e dar sentimento a sua escrita. Claro que Handa, pelo menos no começo, chega a ilha cheio de “não me toques”. Ora, ele é um típico garoto de cidade grande que nunca viveu em um ambiente rural e nem achou que o iria fazer. Ranzinza e com uma alma velha e fechada logo ao chegar já é obrigado a sair de sua bolha sem saber que o encontro com a personagem Naru iria provocar, se não uma mudança brusca, uma mudança lenta e com aprendizado de valores.

Chegamos então a Naru, uma menina muito agitada de 5 anos. Naru usa a casa em que Handa vai ficar na ilha como base para brincadeiras e, claro, Handa não consegue se livrar dela. Ela vem para ensinar tudo o que o Sensei (como ela chama o Handa) não pode aproveitar quando criança por estar sempre focado e rígido na caligrafia. Naru é simpática e mais sábia que muitos adultos, tem curiosidades, vontades e inocência. As interações que ela faz com o Sensei promovem um lindo desenvolvimento de ambos os personagens. Se no começo pensávamos que ela iria apenas adicionar o humor na série, vimos que ela adicionou lições e valores, bem como relembrou a infância esquecida por nós e crescimento pessoal que não nos damos conta que acontece todos os dias.

Naru, faltaram os óculos escuros

Naru, faltaram os óculos escuros

Este são os protagonistas, de fato. Mas se tem um ponto que o anime merece mais crédito é por saber usar todos os outros personagens e ainda sim manter o ritmo. Temos Tama que é uma fujoshi reprimida, Miwa  é enérgica e gosta de provocar o Sensei, Hiro que no inicio não gostava de Handa, Hina que é uma menininha delicada e melhor amiga de Naru, entre alguns outros. Todos cumprem seus papéis sem precisar estender ou paralisar a história.

O enredo é simples, mas muito bem construído, espero muito que tenha uma segunda temporada já que conta com um mangá em publicação. Não é lento nem rápido demais, se bem que o episódios são tão bem dirigidos que os 23 minutos passam como se fossem 5.

Sobre a animação Barakamon ganha mais um pontinho. Ela é fluida e acima da média, possui uma bela iluminação e cenários lindos. Acho que vale a pena ser assistido em HD, a animação não tem queda de qualidade. Falando ainda sobre a parte técnica temos a OP e ED que, diga-se de passagem, são incríveis, muito harmonizadas e no ritmo certo da animação, estas são apaixonantes e passam a sensação de “continue, não acabe anime”.

Em resumo Barakamon é uma jornada de relaxamento, para rir e até aprender. Handa aprendeu muito com o vilarejo, soube descobrir a si próprio naquela ilhazinha e abrir sua cabeça para as possibilidades. É aquele anime que nos lembra muito de Usagi Drop, para assistirmos com a certeza de que o tempo passa rápido demais e temos que aproveitá-lo todos os segundos.

Handa Seishuu Barakamon Cultura Japão Sensei e Naru Handa Seishuu

Barakamon Cultura Japão

 

 

É isso pessoal, se ainda não assistiram deem uma chance, quem já assistiu compartilhe com a gente como foi sua experiência com o anime, até a próxima.

Vini

Vini

18. Estudante de psicologia.
Apaixonado por animes e dobrador de origamis, assim como ama a cultura japonesa e tenta explorá-la quando seu tempo permite.