Cultura Japão 47 Ronin

No filme 47 Ronin o mestre Asano é acusado por tentativa de homicídio, pois é pego em flagrante no meio da madrugada ameaçando o Lord Kira, embora saibamos que o Asano estava enfeitiçado e que era uma sabotagem, o julgaram como criminoso. Logo, para honrar o seu povo, teve cometer suicídio com o ato de Harakiri, mesmo sendo injustiçado. A Cultura Japão irá apresentar como era essa prática de suicídio, veja mais.

Harakiri (Seppuku)

O termo Harakiri significa, hara (abaixo do umbigo) e kiru (corte), que refere-se ao ritual suicida japonês reservado à classe guerreira, principalmente samurais, que utilizaram esse método de suicídio bastante lenta e dolorosa para demostrar coragem, honra, auto-controle e forte determinação. Pois consideravam a sua vida como uma entrega à honra de morrer gloriosamente, rejeitando de se entregar aos seus inimigos, ou as vezes como forma de pena de morte frente à desonra por um crime, delito ou por outro motivo que os caluniassem.

Cultura Japonesa

O Ritual

Primeiramente o samurai banhava-se para purificar seu corpo e a sua alma, em seguida vestia-se com uma roupa específica para o seppuku, de cor branca, que simbolizava pureza e do luto para os orientais. Ajoelhado-se numa posição designada de seiza sobre um tapete branco ou de feltro vermelho, o guerreiro preparava-se para por fim à sua vida. Na sua frente, era costume encontrar-se uma pequena mesa de madeira com uma wakizashi, uma espada curta japonesa, envoltas em várias folhas de papel para proporcionar uma maior aderência. Contudo, nem sempre era possível assegurar uma morte rápida diante os complexos cortes executados, por isso na cerimonia era preciso de outra pessoa na elaboração deste ato. Do seu lado esquerdo, uma pessoa de extrema confiança e familiaridade, que daria o golpe de misericórdia. Antes da ação de auto-corte, era feito uma leitura de um poema da morte e depois tomava uma tigela de sake ou água que, por tradição, beberia em quatro goles, que significava quatro mortes, como referência simbólica aos quatro elementos que este não mais contemplará: a terra, a água, o vento e o fogo. Dando sequencia, o samurai prende as mangas do kimono sob os joelhos de forma a permitir que a queda se dê para a frente, pois se a queda fosse para o lado ou para trás era vergonhoso. Tomando a arma nas suas mãos, desembainhava-a e introduzia a ponta da lâmina no seu ventre. O corte horizontal era efetuado na zona do abdómen, com um tantō ou wakizashi, partindo do lado esquerdo cortando-o até ao lado direito, deixava assim as vísceras expostas como forma de mostrar pureza de carácter. Depois disso, se as o samurai tivesse forças, era realizado outro corte puxando a lâmina para cima, em direção da garganta, terminado o corte, e então o kaishakunin, a pessoa de confiança ao lado, executava a sua principal função no ritual, a decapitação.

Kohaku

Kohaku

  • Iara Marques

    Matou minha curiosidade, infelizmente acho que meu bisavo cometeu harakiri!!